Esportes

O que é BMX?

A palavra BMX tem como significado Bicycle (B) Moto (M) Cross (X).

O Free Style existe desde a década de 70 e foi inventado nos Estados Unidos. Suas primeiras manobras foram inventadas por pilotos mundialmente famosos como Bob Haro, Ron Wilkerson e Michael Domingues.

As crianças imitavam seus ídolos do motocross com suas bikes, construíam pistas e faziam corridas informais. Assim nascia um novo esporte com o apoio e o incentivo dos pais da criançada.

O BMX chegou com toda a sua força no Brasil em 1978, quando o bicicross estava crescendo, dando espaço a esse novo esporte radical. Este esporte é principalmente caracterizado pelo radicalismo e adrenalina que ele transmite, pois para executar as manobras é preciso coragem, disciplina, treino e muita ousadia.

Não é um esporte de moda e os pilotos se unem para atrair novos adeptos, buscando assim consolidar seu espaço dentro dos esportes convencionais promovendo campeonatos e estando sempre presente em eventos e shows de grande expressão.

Os atletas treinam exaustivamente buscando a perfeição, em respeito ao seu público.

Praticado com uma bicicleta de aro 20″, eles executam manobras que podem desafiar a gravidade, com giros e saltos no ar.

O BMX é dividido em duas partes o Race (corrida) e o Freestyle (estilo livre).
ícone voltar ao topo
Voltar ao topo
Modalidades

No BMX Free Style encontramos 5 modalidades são elas: Street, Mini Ramp, Dirt Jump, Flatland, Vertical. O que difere um estilo do outro é o local e a forma de como são executadas as manobras. O BMX Freestyle é dividido em cinco modalidades são elas:

  • Dirt jump
  • Vertical
  • Street
  • Mini-Ramp
  • Flatland
  • Estas modalidades são divididas em 4 categorias sendo:
  • Iniciante
  • Amador
  • Expert
  • Master (pilotos acima de 30 anos), estas na respectiva ordem crescente de nível profissional Atleta.

Modalidades

O Dirt Jump é praticado em rampas de terra, com alturas e distâncias variadas, podem ser rampas únicas, doubles, ou sequenciais chamadas de trails, ou ate rampas de madeira tipo mesa, as manobras tem evoluído de uma maneira que são as mais impossíveis como double back flip e 360º backflip, back flip tail whip entre outras.

O Vertical é executado em uma rampa em forma de “U”, denominada Half Pipe, com manobras nas laterais (bordas) e nos chamados aéreos (vôos para fora da rampa) onde os atletas buscam executar manobras de alto grau de dificuldade o mais alto possível no dois lados da rampa.

O Mini Ramp tem uma altura e tamanho inferiores ao Vertical, realizam-se manobras de bordas, associadas a manobras de salto e aéreos geralmente em rampas de madeira, esta modalidade tem muitos adeptos, pois se usam manobras do DIRT, FLAT e STREET, com um grau técnico que aumenta com as manobras mais ousadas, muitas vezes são adaptados obstáculos ao Mini Ramp como spines, sub-box e wall ride que acrescentam dificuldade e radicalidade a session.

O Street é praticado nas ruas como o próprio nome já diz ou em pistas que simulem ruas que tenham corrimões, escadas e rampas, dos mais variados tipos como spines, fun box, 45º, quarters, savanas entre outros, neste são usadas manobras do MINI-RAMP, DIRT ,VERT e até do FLATLAND.

O Flatland é uma apresentação no solo sem rampas ou pulos, considerado o mais livres dos estilos onde cada piloto faz sua session buscando dificuldade e equilíbrio aliados a criatividade.

O Street e o Flatland são os mais praticados pelos brasileiros.

O que mais excita esses pilotos é o desafio, a busca da manobra perfeita e claro, o resultado que todo esse esforço gera no público que busca assistir esse esporte, criando uma relação de identificação com os atletas.

O uso de equipamento de proteção: joelheira, caneleira, cotoveleira e luvas além é claro do capacete é recomendado para todos os esportes que envolvem risco.

É importante lembrar que o risco pode ser diminuído mas ele sempre existe.

Modalidades

O BMX se divide em duas modalidades, o BMX Racing (corrida) e o BMX Freestyle (Manobras).

Já o Freestyle (estilo livre) também é dividido em modalidades, sendo diferenciadas pelo local e a forma de como são executadas as manobras.Dirt Jumping

É praticado em rampas de terra, com alturas e distâncias variadas, podem ser rampas únicas, doubles, ou sequencias chamadas de trails. As manobras são uma mistura das manobras vistas no vert com os grandes saltos do bicicross.Vert

Vert ou Vertical é praticado em uma rampas com formato de “U”, denominada Half-Pipe, com manobras nas bordas e nos chamados aéreos (vôos para fora da rampa) onde os atletas buscam executar manobras de alto grau de dificuldade o mais alto possível no dois lados da rampa. É uma modalidade com um belo visual para espectadores.Street

É praticado nas ruas, os obstáculos são tudo o que possa ser encontrado, desde escadas, corrimãos, paredes, bancos, monumentos e etc. As manobras combinam o Dirt, o Vert e o Flatland são executadas ao se transpor algum obstaculo, e o que vale é a criatividade em cada obstáculo encontrado pelas ruas.Park

É praticado em percursos fechados (skateparks ou bikeparks) onde se encontram obstáculos que, inicialmente, procuravam simular os obstáculos das ruas, mas atualmente já possui um desenho próprio, com rampas para aéreos e para saltos, bancadas, muros e paredes, e possui ainda hoje algumas poucas simulações de obstáculos encontrados nas ruas, como escadas e corrimãos.Flatland

É praticado em áreas planas e sem obstáculos, as manobras são um desafio de equilíbrio, criatividade e agilidade que podem ser estáticas (usando travões) ou com muito movimento (sem os travões). Os atletas ou artistas buscam executar varias combinações e variações seguidamente sem interrupção do movimento entre uma manobra e outra.

A Bicicleta utilizada no flatland é a mais diferenciada entre as usadas nas outras modalidades do freestyle.

Regulamento

Para campeonatos da ABBMX:

Atletas poderão competir, estando ciente e de acordo com o regulamento da ABBMX.

Quando um atleta nunca participou de eventos organizados pela ABBMX ele automaticamente será da categoria iniciante sendo essa a sua vontade, cabendo ao diretor técnico a sua aprovação assim como a sua designação em sua categoria.

Subindo de categoria: O atleta pode subir de categoria sempre que quiser, sabendo que não poderá descer mais, por exemplo, uma vez na categoria expert o atleta não pode mais competir na amador e assim também no caso de ele competir na categoria amador não pode mais voltar a ser iniciante.

A Diretoria da ABBMX tem todo o direito de designar o atleta na sua respectiva categoria. Ex.: Se for observado que um atleta está com um nível superior a sua categoria ele será transferido a sua categoria correta.

A Diretoria não tem o poder para rebaixar qualquer atleta de sua categoria. Ex.: Se o atleta estiver na categoria Expert e não estiver tendo grandes resultados a Diretoria jamais poderá rebaixá-lo para a categoria amador.

Categoria Master: esta categoria é livre para pilotos de todas as categorias desde que tenham mais de trinta anos e paguem a inscrição referente a esta categoria.

Campeonatos Open: são chamados assim os campeonatos onde todo piloto pode andar sem compromisso com a categoria, ou seja, expert anda com amador e iniciante juntos, independente de colocações e ranking anterior.
Os campeonatos organizados e representados pela ABBMX terão um padrão/ formato a ser seguido, este definido pela diretoria e aceito pelos sócios competidores no ato do evento.

O julgamento dos atletas durante o evento ou campeonato é de responsabilidades dos juizes, sendo eles sempre três pessoas de nível de conhecimento reconhecido no esporte, estes a serem definidos pelo diretor técnico e com aval da diretoria de acordo com a modalidade e o local as ser organizado o evento ou campeonato.

A quantidade de voltas, sessions, jumps ou o tempo fica a ser definida pelo diretor técnico em um consenso com os juizes, de acordo com as condições de terreno, clima e tempo disponível no campeonato, esta exposta anteriormente aos atletas que somente participarão após estarem de acordo.

Um campeonato pode ser ou não valido pelo ranking, este a ser definido pela diretoria de acordo com o tamanho a abrangência e a ocasião.

Fábio G. SilvaO que é BMX?
Leia mais

O que são Patins ( Rolling)

Patins é o equipamento que se utilizam nos pés em desportos como o hóquei em patins praticado mais nos países do sul, ou o hóquei no gelo praticado mais nos países do norte.

Na década de 1990, a maior roda que você conseguiria comprar era uma roda de 80 milímetros; que era considerado uma roda de “velocidade”. Agora, em 2014, você vai encontrar rodas de 80 e 90 milímetros na maioria dos patins de entrada da linha fitness e as rodas de patins de velocidade agora são de 110 milímetros de diâmetro!

Mas a maior é realmente melhor? A resposta é: “depende”.

Rodas maiores permitem patinadores irem mais rápido e com mais eficiência, enquanto rodas menores giram de forma mais lenta e oferecem mais agilidade. Aqueles que patinam com rodas maiores, como 110 milimetros podem deslizar por muito mais tempo do que, por exemplo, quem utiliza roda 76 milímetros, que gira de forma mais lenta e são mais ideias para slalom ou patins de hóquei.

Menos esforço será gasto quando patinarem sobre rodas maiores, o que é ótimo para a conservação de energia para a patinação de longa distância, como maratonas inline. No entanto, quando se trata de curvas apertadas, mais agilidade e paradas mais rápidas, é melhor optar por algo menor.

Simplificando:

Rodas menores (72 milímetros, 76 milímetros):
Prós: mais leve, mais fácil de manobrar; fácil de corrigir o equilíbrio em uma roda; padada mais rápida
Contras: a distância de rolamento menor.

Rodas maiores (80mm, 90mm, 110 milímetros):
Prós: giros mais longos; mais rápido
Contras: mais pesado; mais potência necessária para cada impulso; menos capacidade de manobra.

Patinação Fitness

A patinação fitness é um exercício de longa duração, os patins desenhados pra esta modalidade são pensados de forma garantir conforto e segurança para a performance ideal do patinador. Recomendamos que o fitness seja praticado ao ar livre e em lugares protegidos como parques, orlas e condomínios.

Todo patinador gosta de percorrer distâncias e ter na patinação seu exercício física mas se sua vontade envolve também saltos ou patinar nas ruas, recomendamos que você use um patins mais resistente, sugerimos que você conheça mais a modalidade Patinação Urbana.

Quais são os principais tipos de patins?

Antes de falar sobre os melhores tipos de patins, é importante saber que existem modalidades específicas para diferentes objetivos e superfícies.

Basicamente, para cada estilo de patinação tem um patins diferente.

Modelos de slalom, por exemplo, podem ser apaixonantes e descolados.

Mas existem ainda patins de velocidade, com rodas enormes e um visual diferenciado.

Disponíveis em lojas online e físicas, há modelos para diversos usos, manobras e terrenos.

Antes de fazer sua compra, no entanto, a dica é experimentar. Afinal, nem sempre o modelo mais bonito pode ser a melhor escolha.

Qual é o melhor tipo de patins?

Como existem diferentes tipos de patins, sempre vai existir aquele que é mais adequado para que possa alcançar seu objetivo na patinação.

Isso porque, dentro da patinação, existem várias modalidades esportivas, como:

  • Basquete sobre patins
  • Freestyle (estilo livre)
  • Freestyle dancing (dança sobre patins)
  • Futebol sobre patins
  • Hóquei
  • Patinação artística
  • Patinação radical
  • Patinação recreativa
  • Roller derby
  • Speed (corrida)
  • Street (para manobras radicais de rua)
  • Urban
  • Vertical (para manobras em rampas chamadas de Half Pipes).

Está se perguntando sobre quais tipos de patins mais confortáveis ou mais fáceis de usar?

Muita calma nessa hora: isso só a experiência de calçar e patinar com cada um deles pode te dizer.

Contudo, o tamanho do patins deve ser o mesmo que já usa em outros calçados.

Assim, eles não vão machucar seus pés ou apresentar riscos à sua segurança.

Para facilitar sua decisão nessa corrida de rodinhas, confira a seguir os diferentes tipos de patins, suas características e modalidades.

Fitness / Inline

Inspirados nas lâminas de patins do gelo, os patins inline têm rodas dispostas em linha e são os mais comuns.

Ideais para iniciantes na patinação, são indicados para quem quer patinar em em superfícies lisas de asfalto ou concreto e sem obstáculos, como ciclovias, parques e ruas.

Confortáveis, flexíveis, leves e rápidos, têm bom desempenho para manobras e são ótimos aliados para queimar calorias.

Como é muito fácil se equilibrar sobre eles, são perfeitos se o que você quer mesmo é sair patinando livremente por aí.

Freestyle / Urban

Outra conhecida modalidade é o freestyle ou urban, que consiste em manobras radicais com alguns obstáculos.

Para fazer uma boa escolha de patins para esse tipo de prática, a dica é buscar um modelo mais resistente e robusto.

O equipamento precisa ser capaz de aguentar o uso intenso e ainda facilitar a realização dos exercícios. 

Em geral, as rodas devem ter de 72 mm a 84 mm, além de base ajustável ao pé do patinador para que tenha um melhor desempenho esportivo ao fazer deslizamentos, giros, saltos e outras manobras.

Indicada para quem curte fortes emoções, é uma modalidade predominantemente urbana e mais radical.

Agressive / Street

Com manobras ainda mais intensas, o estilo agressive / street exige os tipos de patins mais resistentes e robustos entre todas as categorias.

As rodas são menores, com uma separação maior entre as duas da frente as duas de trás.

Mas também existem modelos com apenas duas rodas, além de uma base espessa e forte para dar estabilidade e precisão aos movimentos.

As manobras são realizadas em obstáculos de rua, como canos, corrimãos, escadarias, paredes e rampas de skate.

Neste estilo, os competidores precisam ter um preparo físico excelente e também toda a proteção necessária para evitar lesões, como cotoveleiras, capacetes e joelheiras.

Slalom

Com origem no freestyle (estilo livre), o estilo slalom tem movimentos mais ágeis, artísticos, complexos e precisos.

Pode ser praticado em pistas de concreto liso ou madeira, desde que possibilite manobras diversas.

Permite que o praticante brinque mais com os patins, seja ao contornar objetos como árvores e cones ou até mesmo dançar.

Por esses motivos, os modelos ideais para essa prática precisam ter rodas de 80 mm e bases com alturas diferentes.

Dessa forma, a movimentação é facilitada e o patinador pode fazer com mais precisão movimentos como curvas, giros e saltos.

O detalhe, no entanto, é que essa modalidade não possui freio.

Speed / Corrida de velocidade

Patins speed são aqueles que demandam mais velocidade e também alta qualidade.

A bota deve ser mais baixa e suas rodas mais largas, com 100 mm a 110 mm e de preferência produzidas com fibra de carbono para dar mais agilidade ao atleta.

O equipamento deve ser capaz de facilitar o controle em curvas e remadas.

Então, as principais características dos tipos de patins ideais para corrida precisam ter rodas maiores e rolamentos mais sofisticados.

Downhill

Indicado para patinadores mais experientes, o downhill consiste na patinação em curvas e ladeiras a mais de 100 km/h.

Estamos falando de um estilo que é pura adrenalina e que exige anos de prática – e muita autoconfiança, é claro.

Afinal, é a modalidade de patinação que mais oferece riscos aos competidores.

As disputas acontecem em estradas, ladeiras e serras.

Se você gosta de patinar em alta velocidade, pode ser a melhor escolha para você.

Os tipos de patins para quem quer praticar patinação em downhill são muito parecidos com os modelos de corrida.

A diferença, porém, é que deve ter uma roda a mais e uma base em alumínio aeronáutico e mais longa para dar mais estabilidade e segurança ao patinador.

Já os equipamentos de segurança, como em qualquer estilo, são indispensáveis.

A diferença é que, no caso do downhill, são parecidos com aqueles usados por praticantes de motovelocidade, como capacete fechado, luvas e macacão adequado.

Quad

O modelo de patins quad é o famoso patins vintage com quatro rodas, que mais parece um skate em versão tênis.

Com duas rodas na parte dianteira, duas rodas na parte traseira e um freio na parte frontal são fáceis para se equilibrar e muito indicados para iniciantes e crianças.

Como são muito fáceis de usar e dão mais equilíbrio ao praticante, são menos velozes do que os modelos da versão inline.

O quad é o modelo mais usado na patinação artística e, mesmo que não tenha se dado conta, já deve ter visto nas competições olímpicas mais famosas do mundo.

O motivo é que seu formato e disposição de rodinhas são perfeitas para que até mesmo as manobras mais complexas e difíceis sejam realizadas mais facilmente.

Como dão mais firmeza e equilíbrio, os tipos de patins quad também são muito usados em competições da modalidade roller derby (modalidade de patins de alto contato).

Mas o ideal é que sejam usados sempre em pisos lisos e sem imperfeições.

Então, são boas pedidas para quem quer patinar em pistas de skate, ginásios esportivos ou pisos de madeira.

Melhor patins para iniciantes

Com tantos tipos de patins disponíveis, como saber qual é o melhor patins para iniciantes?

Como você deve ter percebido, tanto os patins inline quanto o patins quad são muito indicados para quem quer começar na patinação.

Para acertar na escolha, entre esses dois tipos de patins, basta se atentar a dois fatores: equilíbrio e velocidade.

Se o que prefere é patins que proporcionem mais equilíbrio, quem sai na frente é o modelo de quatro rodas (quad).

Já se o que mais busca é velocidade, mesmo sendo iniciante nessa prática esportiva, a dica é optar pelo inline, que é mais ágil e permite maiores manobras.

Então, tudo depende do seu objetivo ao patinar.

Contudo, separamos algumas dicas para que ganhe ainda mais confiança e segurança ao dar seus primeiros passos na patinação.

Fique por dentro:

  • Antes de começar a patinar, faça alongamento para que seus músculos se preparem e possíveis lesões sejam evitadas
  • Faça aulas com um profissional na patinação ou com um patinador experiente para que aprenda a se equilibrar e a fazer todas as manobras em segurança
  • Pesquise bem os tipos de patins existentes no mercado para evitar compra por impulso
  • Visite uma loja especializada para conferir os modelos disponíveis e encontrar aquele que mais combina com você
  • Tenha calma, afinal, todo começo pode ser difícil, mas não desista. Em pouco tempo, vai ganhar a confiança e habilidade que precisa para continuar a evoluir na prática
  • Use todos os equipamentos de segurança essenciais para evitar acidentes e problemas
  • Use meias para deixar os patins mais confortáveis e também aumentar o amortecimento e reduzir a fricção dos pés sobre o superfície.

E, se cair, não desista.

Os tombos fazem parte do caminho de quem está começando a atividade, mas é importante aprender a cair para evitar lesões mais graves.

Consulte um profissional em patinação para dominar esses truques e aumentar sua segurança.

Melhor patins para manobras

Prefere comprar um patins específico para manobras?

Se você tem o preparo adequado e está sendo acompanhado por um atleta profissional, siga em frente.

Existem dois modelos mais indicados para que faça seus movimentos mais facilmente: 

  • Freestyle / slalom
  • Street / Vertical

O primeiro deve ser altamente resistente a contorções, giros e saltos.

Pode ter rodas de 72 mm a 84 mm, além de bota rígida ou em tecido, para que fique mais confortável aos pés.

A base em alumínio deve ser ajustável para que as rodas possam ser alinhadas à sua pisada nas manobras.

Já o segundo, é robusto e resistente a grandes impactos.

Como é feito para manobras mais radicais e obstáculos, deve ter duas rodas menores e baixas em sua base para dar mais estabilidade aos saltos.

No centro da base deve ter ainda um bloco maciço para facilitar que deslize em corrimões.

Melhor patins para crianças

Para muitos, os patins remetem à infância e, cá entre nós, podem render momentos para lá de divertidos, além de funcionarem como um incentivo à atividades físicas para os pequenos.

Com rodas menores, existem vários tipos de patins para crianças.

Em geral, eles são mais rápidos e mais estáveis.

Indicados para serem usados em espaços destinados à patinação e em parques, devem ser sempre acompanhados por um adulto para dar segurança ao patinador mirim.

Também chamados de patins de brinquedo, eles são facilmente encontrados em lojas de departamento e até mesmo supermercados.

Em alguns casos, vêm acompanhados de equipamentos de segurança como cotoveleiras, capacete, joelheira e munhequeira.

Mas seja qual for sua escolha, é indispensável adquirir também esses itens de proteção para garantir o bem-estar da criança e prevenir acidentes.

Seja qual forem os tipos de patins que mais chamaram sua atenção, a verdade é que os benefícios da patinação são vários.

Se ainda precisa de mais motivos para andar de patins, confira os principais deles logo abaixo:

  • Aumenta a concentração e o raciocínio rápido
  • Fortalecimento muscular principalmente dos músculos inferiores como coxas, glúteos, pernas e panturrilhas
  • Melhora a capacidade dos pulmões
  • Melhora a postura corporal, ajudando a combater problemas na coluna como desvios e dores
  • Melhora do desempenho cardiovascular
  • Melhora do equilíbrio
  • Melhora o condicionamento físico
  • Proporciona bem-estar, reduzindo os níveis de ansiedade e estresse como em qualquer outro exercício físico
  • Queima de calorias (em uma hora de prática dá para perder de 500 a 800 calorias)
  • Também pode funcionar como um meio de transporte alternativo e sustentável (sem a emissão de poluentes na atmosfera como um carro ou moto fariam)
  • E também funciona como um integrador social, principalmente se for praticado em grupos de patinação

Agora, por mais que a empolgação de começar a patinar possa estar tomando conta de você neste exato momento, não se esqueça de usar todos os utensílios de proteção necessários.

Assim, as chances de a diversão terminar em dor são bastante reduzidas.

Gostou de saber os benefícios de incluir os patins em seu dia a dia?

Compartilhe este texto sobre os tipos de patins disponíveis no mercado e incentive seus amigos a iniciarem na prática com você!

Fábio G. SilvaO que são Patins ( Rolling)
Leia mais

O que é Skateboard?

Skate (em inglês: skateboarding, skating) é um esporte que consiste em deslizar sobre o solo e obstáculos equilibrando-se numa prancha, chamada também de esqueite ou skate, dotada de quatro pequenas rodas e dois eixos chamados de trucks.

Com a prancha de skate, executam-se manobras de baixos a altos graus de dificuldade.

No Brasil, o praticante de skate recebe o nome de skatista, enquanto que, em Portugal, chama-se skater. O skateboarding é considerado um esporte radical, dado seu aspecto criativo, cuja proficiência é verificada pelo grau de dificuldade dos movimentos executados.

O esporte foi inventado na Califórnia, nos Estados Unidos. O crescimento do “surfe no asfalto” se deu de uma maneira tão grande que muitos dos jovens da época se renderam ao novo esporte chamado “skate”. Surgiam, então, os primeiros skatistas da época. Em 2016, foi anunciado pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) que o skate, a partir de 2020, no Japão, será um esporte olímpico.

A estrutura do skate

O skate é formado por diversas parte que constituem o seu “corpo” são elas: shape, rodas, trucks, lixa.

Shape: é a base do skate, geralmente feito de madeira ,ele é composto por várias e finas camadas de madeira , dependendo de sua qualidade o shape é mais resistente, onde vai aguentar o peso e colocamos os pés.

Rodas: elas são divididas em 4 pequenas rodas que em seu interior há um rolamento que fazem elas girarem em alta velocidade.

Trucks: são dois equipamentos de ferro ,que se encaixam no shape , assim eles sustentam o skate e o dão equilíbrio.

Lixa: uma das partes mais essenciais do skate ,pois sua camada com lixamento (adesivada no shape )permite o atrito com o pé usado para realizar as manobras.

Rolamentos: é a parte de metal alocada dentro das rodinhas e encaixadas ao Truck. Isso permite maior durabilidade da rodinha e velocidade.

Devido seu aspecto criativo, o skate é considerado um esporte radical, sendo um dos mais conhecidos atualmente. Tem crescido nos últimos anos e atraído um grande número de patrocinadores. Os campeonatos são cada vez mais disputados.

No início da década de 1960, os surfistas da Califórnia faziam das pranchas um divertimento também nas ruas, em época de marés baixas e seca na região.

Os primeiros campeonatos de skate surgiram 1965, porém foi mais reconhecido uma década depois.

Um dos acontecimentos que revolucionaram o esporte foi o invento das rodinhas de uretano, pelo norte-americano Frank Naswortly, em 1973. Outro acontecimento marcante para o Skate foi o invento do Ollie-Air, em 1979, manobra que possibilitou uma abordagem inacreditavelmente infinita por parte dos skatistas.

Rodney Mullen foi um dos revolucionários do esporte, desenvolvendo várias manobras como flip, heelflip, hardflip, kickflip.

A primeira pista de skate da América Latina foi construída na cidade de Nova Iguaçu, estado do Rio de Janeiro.

O esporte se consolidou nos anos 90, ano em que surgiu também o maior skatista de todos os tempos, o norte-americano Tony Hawk.

No Brasil, os maiores ídolos do esporte são os campeões mundiais Bob Burnquist e Sandro Dias (mineirinho).

Fábio G. SilvaO que é Skateboard?
Leia mais